Notícias

UNIESP: Alunos e egressos do Grupo Educacional UNIESP participam da cerimônia da Tocha Olímpica no Brasil

Data: 03/08/2016 | 0 Comentário


Compartilhe

          

A Chama Olímpica, um dos mais fortes e conhecidos símbolos dos Jogos Olímpicos, remete à lenda do roubo do fogo dos deuses por Prometeu, que o entregou aos mortais. Sua origem reside na Grécia Antiga quando, durante a celebração dos Jogos Olímpicos, na cidade de Olímpia, mantinha-se aceso um fogo que deveria arder enquanto durassem as competições.

Nos Jogos Olímpicos de 1936, pela primeira vez foram convocados alguns atletas que deveriam transportar uma tocha com a chama desde as ruínas do templo de Hera, em Olímpia, até o Estádio Olímpico de Berlim. Realizada com enorme sucesso, a ideia tornou-se então uma tradição.

Atualmente, alguns meses antes da realização de cada edição dos Jogos Olímpicos, a chama é ateada em Olímpia e transportada para uma urna que será levada até o local do antigo estádio grego. A partir daí, a chama é utilizada para acender a Tocha Olímpica e entregue para o primeiro de muitos atletas e celebridades, que conduzirão o fogo ao longo do percurso até o Estádio onde acontecerá a abertura da Olimpíada.

A tradição de transportar a chama Olímpica ganhou, ao longo do tempo, algumas manobras fantásticas e adaptações por conta de fatores geográficos, como a travessia do Canal da Mancha de barco em 1948, o voo rumo a Helsinque em 1952, a transformação em impulso elétrico e, depois, a utilização de um laser para reacender a tocha em 1972, no Canadá e a travessia por baixo d’água da Grande Barreira de Corais, em 2000.

Para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016, 12 mil pessoas foram selecionadas para participar do revezamento da tocha. Na rota, estavam mais de 300 cidades de todos os estados brasileiros, em um total de 20 mil quilômetros percorridos por terra e mais 10 mil milhas aéreas. Cada um dos condutores são pessoas que fazem a diferença, seja no esporte ou em suas comunidades, tendo sido selecionados diretamente pelo Comitê Rio 2016.

O Grupo Educacional UNIESP e seus alunos não poderiam ficar de fora deste grande evento e teve 3 de seus alunos e egressos selecionados para a grande cerimônia.

Passando primeiramente pelo Mato Grosso do Sul, a tocha foi conduzida em dois trechos por acadêmicos das Faculdades Integradas de Nova Andradina – FINAN. O pedagogo e aluno do curso de Direito, Anderson Nascimento, foi o primeiro cidadão do município de Sidrolândia a conduzir a tocha, no dia 26 de junho. Nascimento é também professor e voluntário da Associação de Deficientes Físicos – ANDELFI.

No dia seguinte, 27 de junho, a chama Olímpica mais uma vez voltou as mãos de um ex-aluno da FINAN. José Gilberto Laguna, de 26 anos, é o idealizador do Projeto Outubro Rosa em Nova Andradina e ex-aluno do curso de Pedagogia.

Por fim, em sua passagem por São Paulo, a chama foi prestigiada pelo professor João Pedro da Silva Junior, do Centro Universitário da Capital – UNICAPITAL, e por alunos do curso de Educação Física, que estiveram presentes na saída da Tocha Olímpica, na Praça de Independência no Ipiranga. Chegando em Suzano, a tocha foi conduzida por Anselmo da Silva de Melo, corredor especializado em crossfit, e calouro do curso de Educação Física na Faculdade Unida de Suzano – UNISUZ.

A UNIESP acredita no poder transformador do esporte e investe na formação de profissionais e atletas que possam trazer para a comunidade todas as benesses que só as atividades físicas podem proporcionar.

Boa sorte aos atletas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016!




Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado.




    Seja o primeiro a comentar!