Por: Graziela Mendes

Junho chegou! E para aqueles que esperam o ano inteiro por este mês, ele só quer dizer uma coisa: FESTAS JUNINAS = Bolos, doces e salgados! Hum... só de pensar já deu até água na boca. Tudo isso é muito bom, claro! Mas você sabe realmente como começou a Festa Junina?


Existem duas explicações para as festas, uma delas e a principal são as festas religiosas, que homenageiam três santos: O Santo Antônio, Santo João e Santo Pedro. Geralmente os dias que se consagram os santos são os dias em que eles morreram. Santo Antônio morreu no dia 13 de junho de 1231, Santo João morreu em 24 de junho de ano desconhecido e Santo Pedro teria morrido em 29 de junho o ano também é desconhecido.

Como uma forma de homenagear os santos, antigamente as imagens deles eram pregadas em bandeiras coloridas e eram imersas na água, este rito é conhecido como lavagem dos santos.  Depois eram penduradas, a água que caia purificava a todos, segundo uma crendice popular. É por este motivo que existem bandeiras nas festas juninas.

Ainda falando sobre os santos, o Santo Antônio que é conhecido como o santo casamenteiro deu origem ao casamento caipira que existe nas Festas Juninas. Esta união surgiu como uma forma de chacota, pois ela foge dos padrões tradicionais.

A outra explicação é que a festa foi trazida para o Brasil pelos portugueses no período colonial. Na época tinha uma grande influência de elementos culturais dos portugueses, chineses, espanhóis e franceses. A tradição de soltar fogos de artifício veio da China, as danças marcadas vieram da França e também da Península Ibérica, que tem as danças com fitas que são bem comuns em Portugal e na Espanha, e aqui no Brasil foram intensificadas e formou-se a quadrilha.

Embora as Festas Juninas tenham origem estrangeira, elas são comemoradas em todo o território do Brasil. Cada região com as suas culturas e tradições diferentes, porém, todas com o mesmo propósito, se divertir.

Agora que você já conhece todas as possíveis histórias sobre Festa Junina, bora comer, comadre e cumpadre, que toda essa história deu uma baita fome.





     


Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado.




    Seja o primeiro a comentar!