A TECNOLOGIA VEM SURPREENDENDO A CADA DIA, SÃO TANTAS NOVIDADES APARECENDO QUE NÃO CONSEGUIMOS ACOMPANHAR. E NO MUNDO DOS VIDEOGAMES, ESSA TECNOLOGIA SE FORTALECE CADA VEZ MAIS. A GERAÇÃO ANOS 80 DEVE SE LEMBRAR DA TELEVISÃO DE TUBO, O CONSOLE ERA QUADRADO E OS JOGOS VINHAM EM CARTUCHOS.

HOJE EM DIA BASTANTE COISA MUDOU, A TELEVISÃO VEM COM INTERNET INTEGRADA, OS JOGOS ESTÃO EM “CD’S” DE ALTÍSSIMA QUALIDADE, IMAGEM ULTRARREALISTA E OS CONTROLES AGORA SÃO SEM FIO, DISPUTAMOS COM QUALQUER PESSOA NO MUNDO.

Um mercado que antes era dominado pelo sexo masculino, hoje já está mudando. Antes os meninos enchiam as antigas casas de fliperama e quase não víamos muitas meninas jogando. Hoje em dia a competição está igual ou podemos dizer que literalmente o “jogo” virou. Uma pesquisa realizada em 2016 mostra que as mulheres são 52,6% do público que joga videogame no Brasil, e o celular se mantém como a plataforma mais popular.

 

A participação feminina está se destacando a cada dia mais, temos atletas profissionais de E-sport (Termos utilizado para as competições organizadas em jogos eletrônicos, especialmente entre atletas profissionais. Os gêneros de jogos mais comuns associados com esportes eletrônicos são os de estratégia em tempo real, luta, tiro em primeira pessoa, e MOBA). Em 2013 Cristina Santos conquistou o 1º lugar no ranking mundial de Street Figther IV. As mulheres Brasileiras estão mesmo fazendo história no universo dos games. Um grande passo foi dado, porém algumas coisas ainda devem ser mudadas, pois diversas jogadoras relatam que sofrem sim, preconceito e assédio na área.

Uma das coisas que provavelmente ajudou a resistência neste mundo, foi a sub-representação feminina nos videogames. Segundo a fundadora do blog Feminist Frequency, a canadense-americana Anita Sarkeesian, em vários de seus vídeos em seu canal do Youtube, ela mostra como a figura feminina é exposta nos jogos. Em alguns, as mulheres não passam de prêmios, vítimas ou algum tipo de objeto sexual.

De alguns anos para cá as coisas foram mudando, alguns paradigmas foram quebrados nos jogos, um exemplo era a presença de apenas uma personagem feminina, a famosa Lara Croft, da série Tomb Raider, conhecida por ser interpretada no cinema pela atriz Angelina Jolie.

O videogame virou uma ótima forma de distração e diversão, nos jogos online não existe sexo forte ou fraco, irá vencer a melhor estratégia e a dedicação de cada jogador

Por André Nogueira





     


Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado.




    Seja o primeiro a comentar!